Os desafios enfrentados pelas pessoas portadoras do Transtorno do Espectro Autista (TEA), ou Autismo – termo mais conhecido, em que uma parcela tem dificuldades complexas de comunicação, foi o objeto de estudo do fonoaudiólogo Renato Lyuiti Kinoshita, no curso de mestrado da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

No dia 8 de novembro, Renato Kinoshita apresentou os resultados de sua pesquisa sobre a Comunicação Suplementar e/ou Alternativa, assim como a experiência no acompanhamento de crianças com TEA, em palestra no Câmpus Campinas do Instituto Federal de São Paulo (IFSP). 

Organizada pela Coordenadoria Sociopedagógica do Câmpus, a palestra teve a intenção de instrumentalizar e sensibilizar os servidores em educação para a relação com o estudante autista.

Entre os temas abordados na palestra, a reflexão sobre o símbolo do Autismo e o que representa, histórico e pesquisa recentes, as principais características, potencialidades, limitações, e a importância da interação e comunicação, por meio de relatos, vídeos e fotos.  

Durante sua fala, Renato Kinoshita abordou a implementação da Comunicação Suplementar e/ou Alternativa (CSA), como facilitador da comunicação e interação das crianças. O pesquisador explica que ao final do período estudado, observaram-se mudanças na linguagem, na interação entre as crianças e seus parceiros e nas atitudes das famílias, expressas nos relatos dos diários de comunicação, que refletiram no desenvolvimento dos filhos. 

Renato Kinoshita é fonoaudiólogo com atuação na Associação Cultural, Educacional, Social e Assistencial Capuava; mestre em ‘Saúde, Interdisciplinaridade e Reabilitação’ pela Unicamp, pesquisador auxiliar da Universidade Estadual de Maringá – UEM, na área de Comunicação Suplementar e/ou Alternativa e pessoas com deficiência.